segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Para entender as diferentes vertentes do Metal e do Rock...

...vamos imaginar uma situação e seus respectivos desfechos na abordagem de cada estilo.

"No alto do castelo, há uma linda princesa - muito carente - que foi ali trancada e é guardada por um grande e terrível dragão"...



METAL MELÓDICO: O protagonista chega no castelo num cavalo alado branco; mata o dragão com sua espada mágica; salva a princesa; fogem para uma floresta encantada, onde fazem amor, observados por duendes.

THRASH METAL: corre até o castelo, "duela" com o dragão, pega a princesa e fode ela

FOLK METAL: chega uma galera tocando acordeon, fazem o dragao dormir depois de tanto dançar, e vao embora... sem a princesa...

VIKING METAL: chega em seu cavalo, desce e mata o dragao com um machado, assa e o come. Depois pega e fode com a princesa e dorme em volta da fogueira.

HEAVY METAL: O protagonista chega no castelo numa Harley Davidson, mata o dragão, enche a cara de cerveja com a princesa e depois transa com ela.

DEATH METAL: O protagonista chega, mata o dragão, transa com a princesa, mata a princesa e vai embora.

BLACK METAL: Chega de madrugada, dentro da neblina. Mata o dragão e o empala em frente ao castelo. Sodomiza a princesa, a corta com uma faca e bebe o seu sangue em um ritual satânico. Depois descobre que ela não era mais virgem e a empala junto com o dragão.

WHITE METAL: Chega ao castelo, exorciza o dragão, converte a princesa e usa o castelo para sediar mais uma "Igreja Universal do Reino de Deus".

ROCK N' ROLL CLÁSSICO: Chega de moto fumando um baseado e oferece para o dragão, que logo fica seu amigo. Depois acampa com a princesa numa parte mais afastada do jardim e depois de muito sexo, drogas e rock n roll, tem uma overdose de LSD e morre sufocado no próprio vômito.

PUNK ROCK: Joga uma pedra no dragão e depois foge. Picha o muro do castelo com um "A" de anarquia. Entra pelos fundos do castelo, quebrando uma janela. Enche a princesa de pircings. Abre uma barraquinha de fanzines no saguão do castelo. Expulsa a princesa, chamando-a de "Traidora do Movimento".

PROGRESSIVO: Chega, toca um solo virtuoso de guitarra de 26 minutos. O dragão se mata de tanto tédio. Chega até a princesa e toca outro solo que explora todas as técnicas de atonalismo em compassos ternários compostos aprendidas no último ano de conservatório. A princesa foge e vai procurar o protagonista Heavy Metal.

HARD ROCK: Chega em um conversível vermelho com duas loiras peitudas e tomando Jack Daniel's. Mata o dragão com uma faca e faz uma orgia com a princesa e as loiras.

GLAM ROCK: Chega no castelo. O dragão ri tanto quando o vê que o deixa passar. Ele entra no castelo, rouba o Hair Dresser e o batom da princesa. Depois a convence a pintar o castelo de rosa e a fazer luzes nos cabelos.

DOOM METAL: chega la, olha o tamanho do dragao, fica deprimido e se mata. Dae vem o dragao, fode ele e depois o come.

GOTHIC METAL – O cavaleiro chega soturnamente. É lua cheia, o campo está tomado por um denso nevoeiro e ele lamúria o fato de o castelo estar tomado por tal criatura. Diante da tragédia, se lança contra o dragão, que o fere. Ainda assim, consegue com um golpe cortar a garganta daquele ser. Ajoelha-se sobre o sangue do voraz animal e, com as mãos recobertas pelo sangue, vai ao encontro da princesa.
Faz frio e sua respiração é densa. Ao encontrar a donzela, no entanto, vê que ela não se encontrava mais com vida e percebe que a princesa, desesperançosa em ser resgatada, cometeu suicídio. Fadigado pela árdua jornada, vê que o ferimento proferido pela criatura fora fatal e cai, morto, ao lado da amada. (Créditos quanto ao "Gothic Metal" - Murilo Biagioli, JP - Jornal de Piracicaba)

GORE METAL: Chega, mata o dragao. Sobe no castelo, fode ca princesa e mata ela. Depois fode-a dinovo. Agora queima a princesa. Na volta, fode com o dragao tb. Dae ele fica com fome e come o dragao e a princesa.



Comportamento - Levando a coisa mais a sério...

A música soa diferente em ouvidos diferentes. Os apaixonados pela música sejam estas em qualquer estilo; costumam defender o que ouvem com unhas e dentes...

Difícil senão quase impossível assistir a um programa de TV hoje em dia, e perceber algum tipo de sentimento nas músicas que estão em voga na midia. Vemos cada vez mais músicas mais enxutas em criatividade, ritmos que seguem os modismos, letras que - quando existem - seguem padrões impostos pelo mercado.

Resumindo, a música se tornou apenas mais um bem de consumo descartável.

- Onde está a música que vem da alma?

Em parte tive a oportunidade de acompanhar a evolução do Heavy Metal a partir de metade dos anos 80, e sempre convivi com o rótulo de "música de vagabundo", "música de drogado" ou ainda "música do diabo".

Para nós que vivemos neste cenário vemos outra realidade. Traçando o verdadeiro perfil dos fãs de música pesada, normalmente nos deparamos com pessoas que tem formação escolar acima da média, geralmente com nível superior. Pessoas cultas que tocam instrumentos musicais, que conhecem mais de um idioma, e que estão por dentro dos acontecimentos do país e do mundo.

Resumidamente podemos dizer que os amantes do Metal em todas as suas variações são pessoas bastante lúcidas.

Sustentando tal afirmação, vale citar uma pesquisa divulgada em 21 de março em Londres, realizada entre estudantes da Academia Nacional para Jovens Talentos.

A Academia Nacional para Jovens tem a reputação de selecionar e admitir apenas os 5% dos jovens com as mentes mais brilhantes do país. Entre estes 5%, mais de um terço dos entrevistados incluiu o Heavy Metal entre seus estilos favoritos.

Grupos como Slayer estão entre os favoritos, justamente pelo apurado senso musical contido em suas composições instrumentais, bem como as letras com mensagens políticas e a forte carga emocional.

Os responsáveis pela pesquisa reconheceram sua surpresa ao ver que os estilos menos populares entre os superdotados eram os que tradicionalmente são associados às mentes mais privilegiadas, como jazz e música clássica.O responsável pela pesquisa, Stuart Cadwallader, da universidade de Warwick, disse que os resultados obtidos mostram que estes jovens encontram no Heavy Metal uma espécie de "catarse", de forma particular os que, apesar da inteligência superior, têm baixa auto-estima.


Esse tipo de música agressiva serve também para que canalizem suas frustrações e insatisfação, disse Cadwallader, em conferência realizada na British Psychological Society, na cidade inglesa de York.De acordo com Cadwallader, "as pressões associadas à condição de superdotado talvez possam ser esquecidas, temporariamente, com a ajuda desta música".

Experiência Pessoal

Como mencionado acima, acompanho o movimento Heavy desde a metade dos anos 80, tendo já freqüentado variados shows de variadas bandas em diversos estilos diferentes.

Embora suspeito para dizer visto a minha predileção musical e raízes, afirmo por experiência pessoal que entre os shows que são possíveis se sentir uma energia sutil fortíssima permeando o local, os mais incríveis são os de Heavy Metal.

Minha paixão por este estilo continua; no entanto com a idade vamos nos tornando pessoas cada vez mais abertas à novos estilos e idéias. Para os que são mais próximos a mim, sabem que hoje em dia flerto muito com o clássico até mesmo por estar determinado a continuar aprendendo Cello.

Bom, no início do texto, perguntei “aonde está a música que vem da alma?”

A Música que vem da alma esta aqui, ao nosso redor, para ser sentida, degustada e apreciada; a verdadeira musica que nos toca. Tais musicas são aquelas que nos tocam direto em nosso coração. Musicas que despertam sentimentos. Musicas orgânicas, cheias de vida. Algumas mais sutis, outras mais violentas ou agressivas. Mas todas elas, musicas que nos passam algo.

O que esta de fato desaparecendo não é a musica de boa qualidade; e sim, a capacidade dos seres humanos de enxergar e valorizar tais qualidades em toda a sua variedade. Não são apenas
as musicas que se tornam cada vez mais toscas, e sim, o ser humano; pois a sociedade esta fazendo com que percamos a capacidade de apreciar toda a suavidade e nuances de tudo que são consideradas como belas artes...

2 comentários:

Adriana Lascardes disse...

Andreas muito legal os textos. Esse aqui me despertou interesse. É legal saber que você gosta de metal e tambem musica Classica.
Eu toco contrabaixo, você ta fazendo Cello?

Bjs

Janaina disse...

Caracoles!
Adorei as definições do metal!!
Onde vc achou?