terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Notas Na Interpretação - Emmanuel Feuermann


Existe um material escrito pelo cellista Emmanuel Feuermann que aborda não tanto a técnica, mas sim o “feeling” e o estado de espírito necessário para a execução do cello, que acho imprescindível para qualquer um que busque o domínio deste instrumento.

Sabe-se lá porque são poucos os professores que abordam este assunto. Aliás não sei porquê não o fazem; talvez por ser assunto subjetivo demais... Mas, sinceramente, eu acredito que é fundamental este “quê” de subjetividade e feeling não racional, para uma correta abordagem, interpretação e execução do instrumento...

Afinal, quando o assunto se trata de Cello, não são nossos dedos ou a matemática que trabalha... É nosso feeling e subjetividade de nossa alma que se expressa através do instrumento, fazendo da técnica uma ferramenta...

O material que disponibilizo aqui está em inglês – então espero que vocês tenham o domínio do idioma – mas caso um numero grande de pessoas solicitem-no em português, posso pensar em trabalhar em uma versão traduzida...

Abçs!


Prefácio do Editor:

Estas anotações por Emmanuel Feuermann foram coletadas de diversos cadernos de anotações que o violoncelista levava com ele durante as suas tours de concerto pelos Estados Unidos entre os anos de 1940 e 1942. As anotações originais estavam escritas em Alemão, e as ultimas partes, em sua maioria em Inglês.

Uma tentativa foi feita para balancear o material por tópicos de interesse em relação à ordem das anotações feitas pelo violoncelista; e obviamente houve algumas repetições. Mas isto pode ser tolerado, pois em cada contexto de tais repetições, existem nuances diferentes apresentadas por Feuermann, para cada um dos tópicos.

Por necessidade, foi necessária uma re-interpretação para corrigir erros óbvios na gramática das palavras escolhidas que podem obscurecer o sentido original; e ocasionalmente, uma palavra ou frase foi adicionada para a manutenção da conexão entre as idéias.

E, como ainda também existem apenas fragmentos escritos, espalhados por tais cadernos, uma reestruturação de alguns parágrafos foi necessária.

Seymour Itzkoff

Livre Trad. Andreas Mann


Link:






3 comentários:

Anônimo disse...

Olá...Há um tempo gosto(aprecio) música clássica. Navegando, cheguei nesta página. O que você acha de Mstislav Leopoldovitch Rostropovich? Pesquisando achei no youtube alguns vídeos de um concerto para Cello de 1981. Ao assistir o primeiro vídeo e único(pois não tive coragem ainda de ver os outros) fiquei impressionado com a maestria. Algo fantástico. Talvez aqui não seja o local ideal para este post, mas fica aqui a observação.
Abraço,
Fábio Barros(fabio.barros@hotmail.com)

Andreas disse...

O que dizer de Rostropovich?
Alguns consideram-no um dos grandes cellistas e condutores de nossa época, e concordo em genero, numero e grau...!
Sugiro que dê uma procurada se possível, no DVD com as gravações dele das Suítes de Bach; é algo simplesmente fantástico!
Particularmente quanto às suítes em sí gosto muito da interpretação dele, mas outros me cativam mais; embora isto seja algo bastante pessoal...
Não, embora o direcionamento do blog esteja um voltado ao contemporâneo; o clássico e erudito tem seu espaço garantido aqui! Seja bem vindo meu caro!
Andreas

Laura disse...

Nossa, até que enfim alguém resolveu abordar o "feeling" da música =D!
No cello então, esse feeling é imprescindível, quase é possível dizer que não há como tocar cello bem sem sentir a música. Se você põe um pouquinho de força a mais no golpe de arco naquela nota o som já muda totalmente de figura... É preciso sentir o instrumento, a vibração, a hora de tocar piano, a hora de tocar forte, sem que isso seja uma coisa assim, sem emoção né.
Vou baixá-lo. Meu inglês não está lá essas coisas mas é até bom pq já vou treinando haha

Grande abraço Andreas! E NUNCA largue este blog xD