quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Tocar violoncelo em uma banda de rock - Parte 1: a mudança de postura musical

-> Bom, pessoal, depois das acalouradas palavras de boas vindas dirigidas a mim pelo o fundador deste querido blog (valeu, Andreas!), vamos ao que interessa, né?



Tocar um cello em meio a uma saraivada de riffs de guitarras distorcidas e levadas de baterias que mais parecem britadeiras pode ser uma experiência torturante. Não é tão simples quanto parece.

Uma coisa é tocar música de câmara num palco, acompanhado apenas por um violino ou viola. Outra completamente diferente é estar acompanhado por uma banda de rock (guitarra[s], baixo, bateria, teclado...). O volume de som é muito grande! Não tem comparação. Rola uma confusão sonora tremenda, que irá exigir dos músicos uma certa dose de sensibilidade, tanto para uns com os outros, quanto para com o público.

É muito complicado introduzir o cello e encontrar seu espaço dentro de um espectro sonoro tão amplo. Sem perceber, você começa a atacar o arco com mais força, na tentativa de se ouvir melhor. E, com isso, se cansa mais rápido. E logo consegue uma tendinite que vai te deixar um mês sem pegar no violoncelo de novo.

Seus colegas de banda (e você também) precisam entender que há espaço pra todos. É claro que, em certos momentos, um determinado instrumento terá que se sobressair (um solo, uma passagem mais densa...), mas vocês terão que ter o feeling de sentir onde, como e quando. É sempre bom também contar com um técnico de som que conheça o som da banda e/ou as músicas e que possa controlar o volume dos instrumentos direto na mesa de som.

Agora vamos ao problema mais terrível de todos: o feedback. Bom, como vocês sabem, o corpo do cello é uma grande câmara de ressonância. Dependendo de como se dá a captação (microfones, captadores de contato...), o corpo do violoncelo "absorve" todo o som do ambiente que estiver a sua volta!! É terrível, o corpo do cello começa a vibrar desesperadamente, até que não se escute mais nada a não ser microfonia!!

Daí você fica naquele dilema: se eu aumentar o volume, a microfonia (feedback) destrói tudo, mas se eu abaixá-lo, não vou conseguir me ouvir. Como faz?

Já procurei na internet tudo quanto era forma de se reduzir esse problema. Ouvi falar de gente que cobre os "F's" (f-holes) com algum tipo de esponja (nunca tentei, mas acho que não deve dar muito certo). Outros abandonam o uso de monitores de palco e passam a usar só fones de ouvido (já tentei isso, reduz um pouco a barulheira, mas perde-se um pouco do tesão também). Outros loucos tentam usar aquelas barreiras de plexiglass (shields) em volta de si, para ficarem longe do som de seus colegas de banda. Tem louco pra tudo nessa vida...

Neste ponto, o uso de violoncelos elétricos tem uma grande vantagem: a ausência de câmara de ressonância faz com que se tenha um som muito mais limpo e audível. Mas não é todo muito que gosta do timbre (e do visual) dos electric cellos...

Violoncelo elétrico: a salvação?

Acho que tudo depende de sensibilidade musical. Todos querem ser ouvidos e ouvirem também, portanto, devem olhar a música como um todo. Às vezes, é preferível abaixar o volume dos instrumentos no geral a correr o risco de estragar uma apresentação. É uma linha tênue que separa as coisas.

Então é isso, pessoal! No próximo post vou falar um pouco sobre equipamentos. See ya! o/

9 comentários:

Andreas disse...

Boa, Chico!!
Particularmente já experimentei um Cello elétrico e não gostei muito, justamente pelo que mencionou; o "timbre". Tem algo que não me agrada, e cá entre nós, os Cellos acústicos tradicionais tem um lance mais orgânico, difícil explicar...
Vamos ver se como disse, este post me inspira a triggar meu cello...
Desde que não naqueles termos que tinha te mencionado; a captação inserida entre a base do cavalete e o corpo do intrumento...
Veremos, veremos...

Cecil disse...

Ah, mas apesar de o som do violoncelo ser divino, a única forma de evitar essas dificuldades que você mencionou sem tocar cello elétrico é tirando as guitarras, como o Apocalyptica...
Apesar do som do cello elétrico não se comparar ao do cello acústico normal, é muita diversão! Vocês já devem certamente ter visto esse video da Rebecca Roudman tocando Guns... eu queria estar no lugar dela!
http://www.youtube.com/watch?v=szL6F5bsm88

Um abraço.

Andreas disse...

Cecil,
Assim você me surpreende, visto que sei que transita por outros gêneros que não tanto o rock!! rs
Juro que não tinha visto este vídeo, muito show!!! E, concordo com você, definitivamente a Rebecca Roudman está se divertindo muito tocando Sweet Child 'O Mine...!! Muito legal!!! Gostei muito!! hehehe

Quanto a este lance do "orgânico" que havia mencionado, e já que fomos para o rock - mesmo que não seja o instrumento principal - cito como exemplo, a "Dust In The Wind" do Scorpions acústico. Vejam a diferença do timbre entre o Cello da Ariana Arcu e da Rebecca Roudman...

http://www.youtube.com/watch?v=ww6ctlP-Xvw

Claro, já devem conhecer este vídeo, anyway... :)
Divirtam-se!!!

Chico Mouse disse...

Pois é, pessoal... mas ainda acho que vai muito do "gosto do freguês", hehe! Eu, por exemplo, gosto muito do timbre do elétrico, meio "espacial", meio "artificial" mesmo. Tanto é que entupo meu pobre cello acústico de efeitos (chorus, reverb...). Olha meu sonho de consumo:

http://www.nedsteinberger.com/instruments/cello.php

Concordo com você, Cecil. Qnd é um grupo formado só por cellos (Apocalyptica e outros), é mais fácil de resolver...

Acho o elétrico muito prático, fácil de se levar numa viagem, não requer tantos cuidados... Tem que se pesar os prós e contras mesmo.

Agora que o acústico é zilhões de vezes mais bonito, todos concordam, né? hahahaha! :P

Cecil disse...

Oi Andreas, não conhecia esse video não, só a música... adorei ouvi-la novamente, não escutava fazia tempo. Ficou ótimo o cello... realmente o lance orgânico da madeira, a física natural dessa ressonância e da delicadeza do instrumento dão outro tipo de ingrediente à música. O cello, como os outros arcos, é "classudo", mesmo a postura da musicista tem que ser outra... o segurar o arco, tudo ali é clássico e pomposo, além do solo em si, feito sob medida para o cello. Já a Rebecca tira um som nada clássico. Parece uma guitarra, mas NÃO é uma guitarra, e não só porque estamos vendo. O continuum sonoro típico dos arcos, não temperados, está lá. Mas o cello é falastrão, ousado e impaciente, no caso do cover do Guns.
Falando nisso, eu gosto muito de rock, não soub de ouvir tanto quanto ouço o jazz, folk, clássico... mas escuto e curto muito vez por outra. estou contando os dias para a segunda semana de março, fatídica: vou ver Guns no domingo, B.B. King no blues pra aliviar terça-feira, e no sábado seguinte... Dream Theater. Vai ser beeem divertido. :D

Chico, esse instrumento do site que postou é muito interessante! 5 cordas? Qual a afinação? É lindo, deu vontade de ficar com ele... :)

Abraços para os dois.

Chico Mouse disse...

Estranho, não é, Cecil? Tb me pergunto qual a afinação, se seria uma corda mais grave ou mais aguda... abs :P

Cecil disse...

Acabei de achar outro video aqui bem legal, uma galera tocando Iron Maiden... esse aí tb estão se divertindo muito. E tem um violino.

http://www.youtube.com/watch?v=tMSo91fZC1Q&feature=related

Abs!

Andreas disse...

Caramba!

Flash Of The Blade; Powerslave!! hahahaha
Curti muito esse vídeo... rs
E, fato, fato; a Cellista Halley Feaster definitivamente está se divertindo e muito!! rs

Coloco aqui o link do Myspace dela para quem quiser checar outros trampos da garota. Alguns ótimos, outros, "interessantes"; eu diria...

http://www.myspace.com/halleyfeaster

Okay okay okay; refaço a minha colocação do meu primeiro comment; embora eu prefira o timbre do Cello Acústico, o Cello elétrico abre um leque de possibilidades enorme que o Acústico não. Na próxima oportunidade que eu tiver em relação a um elétrico; ousarei mais... ;)

Chico, qual ampli está usando? Para baixo ou guitarra? E, geralmente usa pedais de efeitos separados, ou usa pedaleira mesmo? (Aguardo a segunda parte do texto; sobre equipamentos... hehehe Empolguei... rs)

Quanto ao que mencionou sobre o timbre do elétrico; meio espacial e artificial por algum motivo fiquei pensando em algumas bandas de prog. psicodélico tipo Gong, por exemplo... Embora lá existisse um violino, e não um Cello... rsrs

Mas voltando a "Flash Of The Blade". Dêem uma ouvida na gravação da mesma no Myspace da garota. Logo após a entrada da vocal, quando o Cello vai para um timbre mais baixo; é impressão minha ou percebe-se alí realmente um forte timbre de um Cello acústico?? (A gravação pelo que ví é ao vivo; ou de algum ensaio anyway...)

Gente, estou impressionado...!! hehehe

Gosto de Apocalyptica etc etc.. Mas porquê por exemplo, ainda vejo mais originalidade em um cover de Iron executado em cellos & violinos, do que em várias músicas próprias do Apocalyptica? rs

Abs!!

(Empolgado aqui; já já pegarei meu case e descerei o arco sem dó! hahaha)

Andreas disse...

Ah; quanto aquele Cello da NS design; o "CR Series"; repararam que ele tem marcações no espelho? (Ou no caso do elétrico, diriamos braço mesmo...? rs)
A titulo de comentário; pesquisinha rápida aqui... O de 5 cordas; a bagatela de:

List Price: US$ 3,340.00
Our Price: US$ 2,670.00

Putz... rs